terça-feira, 15 de abril de 2008

meu homem de lata


"encosto o meu dedo em sua pele, mas ela não afunda. não é possível. desabotôo a sua camisa e deito a minha cabeça em seu peito, meu homem de lata. diante do novo segredo, eu queria chorar, mas posso enferrujá-lo. então, como viveria em paz sem a sua armadura? sem nada entender, você se vira e vai embora. e só então eu percebo: a sua armadura é furada, meu amor. nas centenas de furos sobre a lata, vai aguando todas as plantinhas ao seu redor. você é, na verdade, um lindo homem regador."
(rita apoena)
.
.
.
foto: lui, o maior amor do mundo.

Um comentário:

Gabi disse...

Agora posso comentarrrrr...estou com computador em casaaaa!!!!!eeee
Tá tudo bem com vc Fê????
Em que shows vc está pensando em ir na firada cultural????
Bjoes